Arquivo para outubro \31\UTC 2011

Inca publica recomendações para o tratamento do câncer de mama

Responsável pela morte de 12 mil mulheres por ano, o câncer de mama é o tumor que mais mata mulheres no Brasil. Para enfrentar a doença, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) lançou nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, sete novas recomendações. No ano passado, em decorrência do Outubro Rosa, o Inca havia divulgado sete recomendações para a prevenção. Neste ano, a meta é melhorar o tratamento do câncer de mama no País.

Entre as recomendações (confira lista abaixo), está a indicação para que a mulher que tenha a doença diagnosticada inicie o tratamento em até três meses. Segundo o INCA, quanto mais cedo o tratamento tiver início, maior será a expectativa de vida da mulher. “O objetivo do Outubro Rosa é contribuir a sociedade de informação de qualidade”, afirma o diretor-geral do Inca, Luiz Antônio Santini.

De acordo com o Inca, o Brasil vai ter 500 mil novos casos de câncer por ano. Desse total, 49.240 são relativos aos tumores de mama. O Rio de Janeiro é o Estado de maior incidência da doença, com 81,57 casos por cem mil mulheres. O segundo Estado de maior incidência é o Rio Grande do Sul, com 81,57 casos por cem mil mulheres, seguido por Paraná (54,46) e São Paulo (68,04).

Segundo o Ministério da Saúde, serão investidos até 2014 R$ 4,5 milhões na prevenção e no tratamento do câncer de mama e do câncer de colo de útero.

Confira a lista do Inca

1. Toda a mulher com diagnóstico de câncer de mama confirmado deve iniciar seu tratamento o mais breve possível, não ultrapassando o prazo máximo de 3 meses.

Estudos científicos mostram que atraso superior a três meses entre o diagnóstico e o início do tratamento do câncer de mama comprometem a expectativa de vida da mulher (sobrevida).

2. Quando indicado, o tratamento complementar de quimioterapia ou hormonioterapia deve ser iniciado no máximo em 60 dias e o de radioterapia no máximo em 120 dias.

O prazo para o início do tratamento complementar é um componente crítico no cuidado do paciente com câncer de mama. Atrasos no início do tratamento complementar aumentam o risco de recorrência local da doença e diminuem a sobrevida. Em algumas situações de tratamento com quimioterapia, a radioterapia pode ocorrer após os 120 dias.

3. Toda mulher com câncer de mama deve ter seu diagnóstico complementado com a avaliação do receptor hormonal.

Os receptores hormonais são proteínas que se ligam aos hormônios mediando seus efeitos celulares. A avaliação é feita no material da biópsia que medirá um percentual dos receptores nas células tumorais. A dosagem desses receptores permite identificar as mulheres que irão se beneficiar do tratamento complementar chamado hormonioterapia. A presença de receptores hormonais nos tumores de mama é alta na população e aumenta com a idade.

4. Toda mulher com câncer de mama deve ser acompanhada por uma equipe multidisciplinar especializada que inclua médicos (cirurgião, oncologista clínico e um radioterapeuta), enfermeiro, psicólogo, nutricionista, assistente social e fisioterapeuta.

O câncer de mama é uma doença complexa cujo tratamento requer a cooperação de diferentes profissionais e saberes. A experiência mundial aponta que serviços que oferecem uma abordagem multidisciplinar e multiprofissional têm melhor desempenho no tratamento do câncer de mama.

5. Toda mulher com câncer de mama deve receber cuidados em um ambiente que acolha suas expectativas e respeite sua autonomia, dignidade e confidencialidade.

Acolher as mulheres em suas necessidades nas diferentes etapas do tratamento, por meio de abordagem humanizada que respeite seus direitos, possibilita um melhor enfrentamento da doença.

6. Todo hospital que trata câncer de mama deve ter Registro de Câncer em atividade.

Os Registros Hospitalares de Câncer coletam informações essenciais para acompanhar, monitorar e avaliar a qualidade do tratamento oferecido à mulher. As informações dos Registros subsidiam a implementação de políticas e ações de melhoria contínua na busca de padrões de excelência no tratamento.

7. Toda mulher com câncer de mama tem direito aos cuidados paliativos para o adequado controle dos sintomas e suporte social, espiritual e psicológico.

O câncer é uma doença que fragiliza seu portador e familiares em diferentes dimensões da vida. O suporte social, espiritual e psicológico para os pacientes e familiares fortalece os sujeitos para o enfrentamento da doença.

Anúncios

Mulheres avançam no mercado da aviação e chegam a comando de voo

A copilota Juliana (à esq), ao lado da comandante Joana e das comissárias Priscila, Monique, Priscila Heimy e Anelise (Foto: Tahiane Stochero/G1

Números da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram o crescimento do número de mulheres que procuram o mercado aéreo. Em 2009, foram expedidas 44 licenças para pilotos do sexo feminino: 35 delas conseguiram licença de piloto privado e outras 8 de comercial. Apenas uma obteve a habilitação para comandante de uma linha aérea.

O número duplicou em 2010, quando foram expedidas 86 licenças para mulheres: 56 novas de piloto privado, 24 de comercial e 6 de linha aérea, para a qual são necessárias 1.500 horas de voo. Em relação ao ano anterior, a tendência é que 2011 termine com um novo recorde.

 História

A primeira mulher no mundo a receber licença para pilotar um avião foi Raymond de Laroche, em 1910. Ela também foi a primeira mulher a fazer um voo solo, em Paris, no mesmo ano. Desde então, mulheres apaixonadas por aviação passaram a ingressar no mercado.

Na Gol, a primeira mulher a chegar ao posto de comandante foi Elisa Rossi, em 2007. Em agosto, a companhia promoveu mais duas copilotos ao comando de jatos, entre elas Joana.

Na Força Aérea Brasileira, a primeira oficial aviadora só se formou em 2006. Hoje, a FAB conta com 22 mulheres no comando de suas aeronaves pelo Brasil, grande parte tem nas mãos aeronaves de grande porte que atuam no transporte de tropas e na busca e salvamento.

Continue lendo ‘Mulheres avançam no mercado da aviação e chegam a comando de voo’

Documentário sobre Tancredo Neves estreia em quatro capitais

Tancredo, a Travessia, documentário que conta a história de Tancredo Neves, entra em cartaz nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília a partir da sexta-feira (28). O filme traz depoimentos do senador Aécio Neves (PSDB-MG) -neto do político-, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, entre outras lideranças.

Falecido em 1985, Tancredo Neves seria o primeiro presidente civil do Brasil após o término do regime militar. Foi também governador de Minas Gerais e o único primeiro-ministro que o país teve. “Tancredo foi uma liderança exemplar para o Brasil. É possível dizer que, sem a sua liderança, não teríamos reconstituído a democracia”, afirmou o presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE).

Cinemas em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília exibirão o filme, que é dirigido por Silvio Tendler.

A pré-estreia ocorre na terça-feira (25) no Rio de Janeiro, na quarta-feira (26) em Brasília e na quinta-feira (27) em Belo Horizonte. São Paulo teve uma premier segunda-feira (24), à que compareceram  Aécio Neves, o governador Geraldo Alckmin e seu antecessor, José Serra.

Serviço


Pré-estreia no Rio de Janeiro

Terça-feira (25), às 21 horas

Unibanco Arteplex Botafogo

Praia de Botafogo, 316, Botafogo

 

Pré-estreia em Brasília

Quarta-feira (26), às 21 horas

Shopping Center Liberty Mall

SCN, Quadra 2, Bloco D

 

Pré-estreia em Belo Horizonte

Quinta-feira (27), às 21 horas

Usiminas Belas Artes

Rua Levindo Lopes, 358, Savassi

Todos os eventos têm entrada restrita a convidados.

INSCRIÇÕES PARA O PRÊMIO ODM BRASIL

Secretaria-Geral da Presidência da República, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade informam que as inscrições para a 4ª Edição do Prêmio ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Brasil encerram-se dia 31 de outubro de 2011.

Se a sua organização social ou prefeitura realiza projetos que contribuem para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, então chegou a hora de inscrevê-los na página www.odmbrasil.org.br e concorrer ao Prêmio ODM Brasil. Você pode inscrever projetos que atendam a um ou mais Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

O Prêmio ODM Brasil foi criado em 2004, para incentivar e reconhecer projetos desenvolvidos por organizações da sociedade civil e por prefeituras que contribuam para que o Brasil alcance as Metas do Milênio.

As práticas inscritas são avaliadas e selecionadas por técnicos e especialistas do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e da ENAP (Escola Nacional de Administração Pública).

Serão selecionadas as melhores iniciativas que atendam aos critérios de contribuir para o alcance dos ODM, de gerar impacto no público beneficiado, de incluir a participação da comunidade, de atuar com parcerias, de ser replicável em outros locais e de articular com políticas públicas.

Relembrando: o período de inscrição vai até o dia 31 de outubro/2011. Não deixe para a última hora. Sua participação pode fazer a diferença e ajudar ao Brasil e ao mundo a cumprir as metas do milênio.

Fonte:  Secretaria Executiva do Prêmio ODM Brasil

 

Semana Contra a Exploração da Mulher

Inacreditável: o PT arranjou um outro jeito de ficar contra Minas, agora no royalty do petróleo.

Conheça o assunto:

 Existiam duas propostas sobre os royalties do petróleo em votação no Senado.

 A primeira, de iniciativa do senador Dorneles, previa que  a União abrisse mão de uma maior parcela de recursos dos royalties do petróleo em favor dos estados não produtores.

 O PSDB e o DEM votaram a favor dessa proposta, em defesa da Federação  e por considerar que há uma excessiva concentração de receitas na mão da união.

 Além disso, apoiaram essa iniciativa porque ela dava mais recursos aos estados não produtores: cerca de R$ 11 bilhões.

 Venceu a outra proposta apoiada pelo PT que concentra os recursos nas mãos da União e repassa aos estados não produtores  apenas  cerca de R$ 9 bilhões.

 Ou seja, Minas, assim como os outros estados não produtores e produtores, vão receber menos recursos. Mais uma vez, graças ao PT.


SuperMinas: Servas e AMIS assinam convênio de cooperação

Centro Mineiro de Referência em Resíduos – CMRR, um programa do Servas e Governo de Minas participou, de 18 a 20 de outubro, da Superminas, convenção de supermercadistas realizada pela Associação Mineira de Supermercados – AMIS.

Em estande cedido pela Amis, foram mostradas ações do Servas e do CMRR, iniciativa pioneira no país e que conta com o apoio do Sebrae-MG que busca, além de apoiar municípios e cidadãos na busca de uma nova consciência ambiental, oferecer oportunidades para a geração de renda e inclusão socioprodutiva dos catadores de materiais recicláveis.

Na abertura do evento, a presidente do Servas, Andrea Neves, assinou com o presidente da Amis, José Nogueira, convênio de cooperação para a produção de sacolas  retornáveis, cuja venda, nos supermercados terão parte da renda destinada ao Servas para a execução de projetos sociais.

As sacolas serão produzidas com imagens de obras dos artistas mineiros Amílcar de Castro, Fernando Lucchesi, Fernando Pacheco, Fernando Velloso, Jorge dos Anjos, Jorge Fonseca, José Octavio Cavalcanti, Marco Túlio Resende, Selma Weissmann, Thaís Helt.

As sacolas estarão à venda na rede de supermercados de todo o estado, na primeira semana de dezembro.

Fonte: Servas 


Blog do PSDB Mulher

Galeria de Fotos

Filiadas devem se recadastrar pela internet

RSS Núcleo Multimídia – Reportagens e vídeos interessantes sobre ações do Governo Aécio Neves

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

RSS Aécio no Facebook – Participe da comunidade de um dos administradores públicos mais bem preparados do Brasil.

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Fotos da Agência Minas

@psdbMG

@governoMG

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.